segunda-feira, 2 de abril de 2012

Macumba Online

Esse assunto é que nem Moët & Chandon. Cada um tem o seu ponto de vista acerca do sabor. Uns atiram-se ao chão de desgosto, outros escrevem cartas de amor e sonetos de adágio ao produto.

Na minha África o mercado de trabalho não anda muito bom para os nossos kimbandas. Xi, parece que uma espécie de crise europeia abalou completamente as estruturas de quem há muito trabalha nessa área com amor e carinho. Tudo porque um macumbeiro europeu não é um simples macumbeiro. Ele é um mago! Um homem que congrega em si um "kibuto" rijo de conhecimentos, todos querem o conhecer, e estar ao seu lado, são sucesso absoluto. Pois é, um feiticeiro no qual você deve deixar os "i’s" soarem bem; para o europeu você tem que afinar e muito.

Já um africano… Ai um africano! Até eu se apanho um "feticero" dessa estirpe piso-lhe no peito e lixo-lhe a "muchachala" toda juntamente com o cabedal. Tal como a trotinete de madeira que começou cá e regressou metalizada e muito cara, o mesmo aconteceu com a feitiçaria. Só é bonito se for "Made in Europe". Doutra forma, "mbora" lá matar os camaradas.

Entretanto com essa cena de globalização e tecnologia, surgiu a macumba online. O que fez com que muitos homens de "pembas" largassem a função. Você recebe um e-mail ou um post no Facebook detalhando uma estória, e no final: Reenvie senão a sua mãe morre. Muitos enviam e reenviam, mas sinceramente; adianta mesmo? É muito trabalho para pouca gente. Quer dizer, tirando os pedidos que chegam nos gabinetes dos "chiras", agora também têm que matar as mães de milhões de desconhecidos? E para piorar nem metem o endereço. Ah, porque a tua mãe vai morrer se não reenviares. Assim o coitadinho do "kimbanda" vai lhe apanhar aonde? Como é que ele vai montar a "tala" (mina terrestre tradicional)? Ham?

Se antes, os bruxos bungulavam em sua porta ao som de músicas sem ritmo, materiais gastos e tal, o que faziam com que as danças saíssem mal; de lembrar também que dispunham de poucos toques de dança, eram mais jaracuzas, poperôs e gato preto; diminuindo assim, o grau de efectividade das suas acções drasticamente por gastarem muita concentração ao escutar a música de ataque e repetir muitos toques.
Hoje em dia, eles cruzam já com um dj de renome tipo o Malvado ou mesmo o Kapiro na porta das suas vítimas. O dj põe-se a “suculentar” muito som rijo a saírem numas JBL e o kimbanda puxa o seu portátil e começa a mandar os toques na porta. Em caso de dúvida ele pode rapidamente aceder o You Tube e checar um toque novo que já esteja a rolar.

Sabendo que as coisas funcionam mais à base da proximidade, e no caso das "talas" é fundamental que o "kota bwé" saiba aonde a sua vítima irá passar para que possa pisá-la. Como é possível vocês quererem matar alguém por e-mail?! Co-mo? Assim "memo" se isso fosse possível vocês acham que os Estados Unidos da América iriam vos deixar em posse dessa divindade? Achas que iriam destruir nações quando poderiam apenas mandar um e-mail para o Saddam Hussein, Muʿammar al-Qaḏḏāfī ou mesmo para o Osama Bin-Laden? Era só um e-mail e já era!
É que seria festa grande! Estás furioso com alguém, e simplesmente dirias: Só se nunca mais abrires o teu Facebook ou a tua caixa de entrada de e-mail, porque eu vou te mandar uma pemba rija. Todo mundo estaria a correr das redes sociais porque estariam a se "bondar" por tiros online! Queres a namorada de alguém, era só mandar: Se não enviares para 3500 pessoas a tua namorada será minha. É que para pôr o "me gosta" não seria mais aquele trabalho todo de ter que "tramancar" o biquini da pinta para se fazer o grande trabalho. Tudo seria mais rápido e ao alcance de qualquer um.

VamosLá Ser Sinceros! O que é que leva alguém a reenviar essas macumbadas electrónicas? Será o simples apetite de cair numa estupidez? Querer reconhecimento da sua falência neuronal?
Assim mesmo sentaste, leste, e logo após gritaste: "Uauê, "lelô"! Deixa enviar agora "memo", antes morrer a mãe do meu amigo (porque você envia ao seu amigo) do que a minha! Se a "kota" então entregar as pastas (bater as botas), vais assumir a autoria do crime? Isso é o cúmulo do medo e da superstição, misturada com 15 colheres de egoísmo numa solução já saturada.

Falando em crime... Será que esse tipo de desacato deveria ser considerado como uma tentativa de homicídio culposo?
Por outro lado; será que eu é que estou enganado e no final das contas são todos uns bruxos aqueles que enviam essas mensagens aos outros? Pode ser que tenham ido à um "kimbanda" buscar feitiço mas antes de receber o pau deveriam enviar 150 e-mails aos seus amigos pedindo para reenviar, senão nada feito.

Pensando bem, a tecnologia deve ter mesmo afectado tudo. E como no caso das superstições nós raramente sabemos quais têm sido as inovações, se calhar os bruxos estão mesmo a criar esses posts e a publicarem no "wall" dos seus amigos. Pelo sim, pelo não, vamos deixar os pancos se divertirem um pouco.
O pior será se no final de tudo, eles estiverem com a razão!

4 comentários:

  1. No final de tudo o que fica é o riso...Mbora lá reenviar hahahhah!!!
    se pegar a pemba, aqui nao vai ficar...

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  3. Queria Resolver Minha vida no amor!! Nada da Certo!

    ResponderEliminar
  4. http://macumbaonline.com/Fortalecer-13b472f819d18cd542bab2086e4585d3/

    ResponderEliminar

Motive-me com o seu comentário!