terça-feira, 18 de março de 2014

Sansão e Dalila

Segundo a sua descrição na Bíblia hebraica, Sansão foi um homem nazireu, filho de Manoá, nascido de mãe estéril e que liderou os israelitas contra os filisteus de 1177 a.C. a 1157 a.C.

Distinguia-se por ser portador de uma força sobre-humana que era fornecida pelo Espírito do Senhor enquanto se mantivesse obediente ao Senhor dos Exércitos.
De acordo com o texto bíblico, Sansão apaixonou-se por Dalila, uma mulher filisteia, a qual o traiu entregando-o aos chefes de sua nação, por grandes somas de ouro e estatuto social. Reza a estória que Dalila beijou a boca do juiz Sansão e com toda a destreza fomentada pela sede do poder conseguiu extrair o segredo do nazireu que disse-lhe que sua força dependia dos seus longos cabelos que por promessa à Deus nunca haviam sido cortados. Depois de ter revelado seu ponto fraco à filisteia, ela fê-lo dormir e cortou o cabelo do homem enquanto dormia... E blá blá blá...

Blá blá blá, pois, como todos nós sabemos, isso não passa de uma mentira gritante que os europeus criaram para mais uma vez usurparem de nós um grande conto e excluírem-nos da equação sem os devidos créditos. Entretanto, a verdade tarda; mas chega. E eis que hoje iremos contar o que realmente aconteceu naquela época.

Para início de conversa, Dalila era angolana. Sim, sim, sim... Dalila, Lilas, Lili ou Mana Li como era carinhosamente chamada, morava na Maianga. Lá nos anos de 1165 a.C (antes de Cristo). Mulher muito vaidosa, gingado escorregadio como uma jibóia e bunda que parecia perfume, onde passava deixava marca; as pessoas não paravam de falar tão cedo. Se ela passasse numa rua às 13 horas, até às 17 horas ainda era possível encontrar homens a babarem e os restos mortais daqueles que presenciaram o seu desfile. Como ela mesma dizia: - Temos que ter "standards." Logo, não preciso aqui dizer que a Lili era uma das mais achadas de todo o reino Ngola.

Com suas manias e sonhos sumptuosos, Dalila ia à escola simplesmente. Não estudava! Ia à escola. Sabia ler e escrever o suficiente para publicar os desenhos e esculturas que dedicavam à ela no seu "AntesGram", mas nunca tencionou viver do seu próprio suor. Ela dizia abertamente que com aquele corpo sinuoso que possuía; mais tarde ou mais cedo iria aparecer alguém que fosse lhe tirar da Maianga e lhe daria apartamentos no Talatona, metade do Mussulo, 3 blocos no Kilamba para a família morar, Range Rover, V8's e tudo mais que ela tinha direito. Constantemente mandava indirecta às moças que tinham os mesmos sonhos que ela, criticava aquelas que percorriam e seguiam as suas pegadas. Basicamente, mana Li sofria de ter dedo. Toda a hora a apontar o dedo às outras mas não reparava que haviam 3 a apontarem de volta para ela.

Você agora pode estar a dizer:
- Oh, então a Lilas era mesmo poderosa...
Quase isso. Ela só não se sentia a Afrodite porque via em si um grande defeito. Dalila era "katota," ou seja, ela chamava seu cabelo de ruim, ruim, ruim, ruim que podia fazer e desfazer mas o cabelo nada. Por ser muito achada, na rua diziam que o cabelo dela era à prova d'água, que dava para fazer relógio. O que fazia com que ela detestasse ainda mais a sua condição capilar.
Como naquela época ser branca é que batia, ela queria ser uma delas. Todas as revistas evidenciavam mulheres com cabelos longos e lisos. Essas revistas e mesmo a televisão daquela época eram conhecidas como fomentadoras do "tabaterismo" que fizeram com que mana Li quisesse ter o cabelo daquele jeito que ela sempre viu. Na sua busca pela aparência perfeita, Lili inventou o pente de ferro que aquecido dava para desfrisar o cabelo e... Aquele produto que levou o seu nome ao estrelato nacional. Dalila inventou o TCB! Ela e suas seguidoras queimavam e mais queimavam o couro cabeludo. Tudo para sair às ruas e ver o vento sacudir o seu cabelo; obviamente sem sucesso.

Foi assim que surge na vida dela Sansão. Homem forte, gajo "caenxe," olhos castanhos claros, aparentemente rico, 1 metro e 88 de altura e 60 centímetros de cabelos longos. Epá... Aquilo foi tiro e queda para Dalila. Ela passou-se com o camarada. Foram apresentados por um amigo em comum no Chiuaua. Eles aí na área VIP. Sansão já armado em o pai grande das garotas. Ficava parado a noite toda "xé de braço," mal conseguia se movimentar. Parecia ter um horário para mudar de pausa. Independentemente de não se mexer muito, as damas lhe morriam tipo nada.
Ao tocar aquele cabelo sedoso, ela derreteu-se!

Depois daquela noite, trocaram os endereços e foram se mandando pombos correios. Muito pombo correio da cara porque o Sansão apesar de forte, morava nos Combatentes e não podia ir assim para a Maianga logo de primeira por causa dos grupos de luta que existiam naquele tempo.

Começaram a namorar e Dalila não suportava o facto de ter um homem mais cabeludo do que ela. Vezes sem conta ela implorava pelo segredo de Sansão. Ela queria saber de onde ele tirava tanto dinheiro para estar sempre na noite. Mas ele enrolava sempre. Até ao dia em que ela beijou a boca de Sansão (sim, Sansão era um "granda" lento, e nunca havia beijado a namorada; ademais estamos numa época a.C beijar não era fácil) e sussurra palavras de amor e desejos carnais no ouvido do pobre rapaz. Foi assim que ele revela para sua amada que vivia da aparência e que tudo dependia do cabelo.
- As mais velhas pagam para me ter na cama, têm fantasias com homens cabeludos, meus amigos emprestam-me a maioria das suas roupas de marca e assim vou levando a vida.
Naquela época os maridos andavam atrás das "pequena" e as esposas dos grandalhões.

Só que Vamos Lá Ser Sinceros...

A Lilas estava nem aí para esse "aparecedor". Tudo que ela mais queria na sua vida estava sob a cabeça daquele homem. Tiveram uma noite estafante. Enquanto Sansão dormia, Dalila cortou-lhe o cabelo e chamou os Metralhas para agarrarem o Sansão que era dos Alameda! Seria escusado dizer que ele foi violentamente espancado ao ponto de ficar cego.

Na manhã seguinte, Dalila aparece na rua com cabelos longos e fica então conhecida como a primeira angolana a aplicar tissagem. A estória de como conseguiu obter a tissagem se espalhou. Assim, ela foi e ainda é responsável por um grande grupo de mulheres que fazem de tudo para pôr tissagem. Desde mandar espancar à partir braços de jovens e kotas ricos. O grupo daquelas que ainda não se sentem bem com o seu cabelo natural só aumentou. Cristo veio e não conseguiu salvar essas angolanas. Até a rainha Njinga Mbande foi recentemente contaminada pelo dalilismo, "tissage jé né tissage!".
Hoje em dia, em 2014, o que começou com tissagem, passa por viagens, casas e toda sumptuosidade que Dalila um dia sonhou.

Só que epá, Lili... "Vamo inda falá" lá um pouco sério. Eu até tenho uma mente aberta, mas assim também não! Como é que você fatiga alguém por causa duma tissagem? Eu só quero ver essa aparência que estás a procura!

No entanto, vários "Sansões" surgiram e morreram na mão de mulheres vis que se envolviam com eles enquanto não aparecia alguém com mais bolso. Porém ele também deixou o seu legado. Um monte de homens revoltados que não cortam os pêlos das axilas, nem da zona púbica em tom de protesto ao sofrimento daquele que os inspirou.

Enquanto isso, aqui em Angola todos têm... Até o dia em que lhes cortam o cabelo!


20 comentários:

  1. HAHAHAHAHHAHAHHAHAHAHAHAHAHHAHAHHAHAHHAHAHAHHAHAHAH Tanto esforço que a Mana Li fez, mas o cabelo estava sempre como se tivesse desfrisado com cimento cola :D Coitado do Sansão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Certas coisas não mudam nunca. A raiz estará aí para fazer lembrar!

      Eliminar
  2. Doidos.. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk tdo atoa! Mas gostei da criatividade

    ResponderEliminar
  3. Muito bom... voce e mt burro... mas isso ta mt bom... mas vc e mt burro ya... mas ta bem bom, ta crocante, ta xuxado, ta pitolas :P

    ResponderEliminar
  4. Ai ai ai, Mauro! Possas, é muita criatividade! Grande crónica, parabéns! Dalilas... hahahahahahahhahahahahahaha

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sweet Cliché, atenção às Dalilas. Elas são imortais! Eu simplesmente amo os teus comentários.

      Eliminar
  5. Vcê é muito burro! Ah pk parecia ter horário pra mudar de pausa. Hahahahahaha

    ResponderEliminar
  6. Mauro Sérgio vc me escangalha!!!
    Sempre achei que essa história não tinha sido bem contada :-D xD

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E podes crer que muita coisa ainda ficou por se dizer, Ângela!
      Quem sabe um dia continuamos?...

      Eliminar
  7. Ai meu Deus! Morri kkkkk... Mauro isso foi fenomenal. A fatigar assim tinha de ser a original Dalila essa mana Lili é "gangsta" sem dúvida

    ResponderEliminar
  8. Muito Bommm.. Amei os teus textos e tens uma criatividade inacreditável!
    Considera escrever um livro, mas de humor hahaha

    ResponderEliminar

Motive-me com o seu comentário!