domingo, 30 de março de 2014

Ética e Profissionalismo Numa Aventura Tundimbal

Não posso!
Meu!
Temos que ficar por aqui.
Até quando?!
Eu já não aguento mais! - Fim da linha.

Por definição, jogos são actividades organizadas com objectivos distrativos onde pretende-se passar uma mensagem para os jogadores (vencedores e perdedores). Pode envolver dois ou mais jogando entre si como adversários ou cooperativamente com grupos de adversários. É importante que um jogo tenha adversários interagindo e como resultado de tal interacção exista um vencedor e um perdedor.

Preste bem atenção, que a definição diz que as pessoas envolvidas num jogo ou são adversários, ou cooperam entre si com grupos de adversários. Não diz que são adversários e cooperam entre si. Tem sempre um vencedor e um perdedor e não que tem sempre ou vencedores ou perdedores. A definição implicitamente diz que um andará sobre o asfalto e outro na lama.

Bem... Isso era assim até começarem com o jogo do Amor... E pelo amor de Deus, não me venham cá dizer que não é um jogo. É um jogo bastante interessante onde duas pessoas vivem momentos íntimos e acesos sem possuir o outro.

Nos dias de hoje, algumas coisas passam e ficam somente pelo sexo. A chamada aventura "tundimbal." Resumidamente é algo mais ou menos assim:
- Eu quero, tu queres... Porque não?!

O problema do amor é que ele é lixado, decrépito, gorado, matreiro e desleal. Diferentemente de qualquer outro jogo, um único ser não ganha este jogo. Ou ganham os dois, ou perdem os dois! Não existe essa de ele ganhou e ela perdeu ou vice-versa. No amor são os dois parceiros e adversários. Sim... Sim! Não devia, mas é assim. Há um jogo no meio disso tudo, apesar de negarmos constantemente.
Queremos prender o adversário nas nossas teias ou tê-lo nas nossas mãos. No entanto, não percebemos que é tudo tão recíproco ao ponto de nos envolvermos na mesma teia que queríamos prender a outra pessoa.
Já não conseguimos ficar um dia sem falar com aquela pessoa, queremos mandar mensagens da bosta somente por ter tido vontade e mais um monte de comportamentos infantis que mal conseguimos explicar.
Continuamos com a ideia de que somos apenas "tundimbadores" profissionais (entenda-se profissionais como "cacussadores" que não misturam as coisas), mas é pura mentira. O bastardo sorrateiro do amor já te penetrou, começa a fazer um monte de lixo com a tua vida, a mijar nos pilares do teu juízo, e se bem me lembro, o prédio da DNIC caiu de tanto mijarem nos pilares do prédio; e se prédio que é prédio cai, imagina o juízo?! A verdade mesmo é que começas a perder a ética e o profissionalismo. Sentes coisas que não são da tua competência como ciúmes, queres fazer docinho quando combinam algum serviço e ainda por cima tens que lidar com o que a sociedade pensa sobre o amor. Como se não estivesses confuso o suficiente, aparecem sempre aquelas definições baratas que dizem que só é sentimento supremo se e só se as regras, teoremas e postulados x, y e z forem verdadeiras.

Nesse universo de o que é amor e o que não é. Pouco se fala de um grande catalisador de amores. O sexo! Infelizmente, todo o relacionamento que começa com fins sexuais passa por uma tempestade que só aguenta quem tem a natureza mística da Ponte Molhada do Benfica. Poucos, senão mesmo muito poucos, aceitam continuar numa relação somente sexual ao se transformar numa rotina amorosa. Eis que começa o verdadeiro jogo. Quem vai ganhar, quem vai perder?

Entretanto, já que todo mundo fala o que bem entende, porque não apresentarmos alguns postulados que iluminam o caminho daqueles que não querem se apaixonar pelas suas aventuras sexuais? O que fazer para manter essa relação dentro da ética e do profissionalismo? Como não cair dentro do abismo da sedução, paixão e seus companheiros?

Bem, depois de muitos anos de estudos afincados, cientistas renomados publicaram um resumo daquilo que eles consideram fundamental para evitar acidentes de percurso:

1 - Sob circunstância nenhuma troquem carícias e/ou abraços após o acto "tundimbal."
Carícias e abraços são instrumentos preliminares e não pós-liminares. São os maiores fabricantes de afecto e conexão que existem no mundo. Eles não brincam em serviço. Dois toques e já estás "male." Todo derretido da tua vida nos braços de alguém que tu só querias te divertir.
Note que as mães abraçam e acariciam mais as suas crias do que as beijam. O perigo "num tá" no beijo. É primordial não negligenciar o poder que esses toques traidores exercem sobre ti. Não caia nessa tentação. Nem cafuné no cabelo, nem raio que o parta. Sejam rigorosos! Não percam o profissionalismo por causa de um contacto barato que futuramente colocará toda o jogo em perigo. Quer abraçar, vai abraçar uma amiga ou amigo. A pessoa com quem tu tens óptimos momentos sexuais não deve ser alvo de tamanha barbaridade psico-comportamental.
Depois de uma boa "tundimbaria," abre-se uma porta em cada um dos envolvidos que dá acesso à toda a sua fragilidade. É como se naquele momento não houvessem glóbulos brancos e facilmente o teu sistema imunológico seria infectado por alguma doença.
A maioria das pessoas que estão nesse momento fugindo duma relação que começou como aventura, trocaram carícias a mais. Excesso de carícias fizeram com que hoje em dia corressem que nem galinhas fugindo duma raposa. Se decidirem ter mais um assalto, cada um vai para um canto da cama. Senão... Levantem-se e vão para casa. Evitem contactos desnecessários na posição horizontal!

2 - Não partilhem desabafos, desejos e sonhos de vida um com o outro.
Isso "memo" não! Não, não, não e muito não... Isso cria laços irreversíveis e destrói um envolvimento saudável. Estas actividades são aparentemente inofensivas, mas o que te fazem depois?! "Num" brinca "cô" conversas do género! Quando há partilha desse tipo de informações, sentimentos profundos são compartilhados e acima de tudo demonstra que a pessoa está a confiar-te; o que não é uma atitude ética nesse tipo de jogos. Ao ouvir um desabafo, além de embarcares nas emoções alheias, se souberes ouvir, o "desabafador " perceberá que possuis uma qualidade que muitos sequer conhecem: A capacidade de escutar alguém.
A comunicação que se estabelece através desses assuntos, permite obter dados sobre a inteligência da pessoa, perspectiva de vida, ambições, paciência, visão e tantas outras coisas mais que no final dão um valor a que chamamos de Relação Virtudes por Defeito, que é uma expressão numérica que indica a superioridade qualitativa duma pessoa. Ora bolas... Se só queres "cacusso" de que adianta ter o RVD da pessoa? Foque-se no que é fulcral apenas.

3 - Nunca arranjes um parceiro extra se a tua relação estiver mal.
De acordo com os investigadores, esse é um dos grandes erros frequentemente cometido pelos jogadores. Se "tá male, num se procura só probulema." Vais encontrar! O parceiro extra tem que ser um complemento à uma relação estável que por alguns motivos tem alguns pecados. Mas jamais, deve ser o seu pneu de socorro para uma relação espatifada. Se a sua relação estiver mal e tiveres uma vítima sexual em vista. ATT: Ou deixa e depois se envolve ou não se envolve mesmo. Vais te apaixonar!
Porquê? Porque estás frágil! Se encontrares um parceiro que não é profissional e começa a dar-te atenção acima da média... Adivinha só... Game over! Não vais conseguir manter a tua relação que já andava um esgoto e falharás também com a promessa de não se apaixonar. A mente precisa estar sã para resistir!

4 - Não mantenha nenhuma comunicação matinal.
Não seja matumbo. Acordou, vá tomar o seu banho e vá para a sua vida. Tu não tens nada que ligar para saber como essa pessoa dormiu, se sorriu, se fez o quê. Não é da tua conta e é muito deselegante! Deixe a pessoa em paz e ligue apenas quando for para marcar algum encontro à portas fechadas.

5 - Estabeleça limites.
Saiba exactamente do que gostas fora da cama e avise-lhe, avise não; proíba o dromedário de cometer tamanha gafe sob a pena de ficar sem te ver. Não aceite conhecer pessoas próximas à essa pessoa. Nada de conhecer amigos, primos ou seja lá quem for; essas pessoas gostam de super-adjectivar os seus queridos e isso pode criar uma atracção inexplicável. Além do mais, se tiveres menos acesso à vida dessa pessoa, menos coisas te farão lembrar essa pessoa quando quiseres fugir. Preste atenção ao tempo de convivência. Quanto menor o tempo que ficam juntos, melhor!
A ausência de limites torna tudo válido, e podes levar alguns golpes que só sangrarás dias depois sem saber a causa. Quando assustares, morreste de amores pela pessoa.

6 - Não minta, não se minta.
Nunca, jamais! Se estiveres a gostar muito, admita e aceite. Só não penses que nada se está a passar. Os sentimentos querem e gostam de ser reconhecidos logo de primeira. Ao ignorá-los, eles empurrar-te-ão para uma descida emocional em que perderás o controle do teu ser.

7 - Lembre-se sempre porque razão decidiram enveredar para esse tipo de relação.
Esta serve para colmatar o que foi dito no teorema 6. Saiba que eventualmente perderás o controle da situação. Sim... Isso é que nem estar bêbado; não tens tanto controlo assim. Mas quando perderes o controle, o juízo, lembre-se porque razão vocês não estão numa relação mais séria, de acordo com a sociedade. Admita simplesmente que estás perdido, mas a mente tem que estar concentrada. Um vacilo teu e a mente te mente.

8 - Cuidado com bom sexo!
Cuidado... Muito cuidado! Num brinca cô vida!

Mas mô irmão, essa ideia de que eu ganhei, eu fiz, eu estou com a vantagem, é mentira. Isso era antigamente onde os nossos kotas não revelavam todas as suas emoções. Ninguém ganha ou perde sozinho numa relação que se tornou amorosa. Ou ambos ganham ou ambos perdem! 

Se te perderes e deixares de aplicar uma única regra sequer, voltarás para cá, apenas para ler as frases que abrem o texto. Vamos Lá Ser Sinceros!

12 comentários:

  1. O único ser que sempre sabe expressar o que sinto... Tua inteligência é fora do comum.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hahahahahahahahahahaha... Sueli, muito obrigado pelo apoio que sempre deste ao blog! Bjs

      Eliminar
  2. Eu so kero saber como é k vce sabe isso? (vou te trazer 'prubulema')

    ResponderEliminar
  3. Tu não tens nada que ligar para saber como essa pessoa dormiu, se sorriu, se fez o quê. Não é da tua conta e é muito deselegante!... Ahahaha Mauro.

    Não podias estar mais certo. Nice one.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mensagens matinais são um incómodo constante, sem falar da armadilha que representam.

      Eliminar
  4. A isso se chama boa leitura!!! Estás de parabéns.. Mas só por acaso o que significa "tundimbal"?!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Heila, Heila... Tens certeza que não sabes? Tundimbal é sexual!

      Eliminar
    2. Bem... Saber não sabia. Suspeitava apenas um bocado para muito..

      Eliminar
  5. Hhahahah... Sangue... Acredito que depois desta leitura a minha Ética e Profissionalismo Numa Aventura Tundimbal... so vai melhorar;;;;;

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A ideia é ajudar a família a lidar com os casos mais complexos dessa ciência de uma forma mais leve e sem armadilhas, Sangue!

      Eliminar
  6. Hahahaha

    Essa coisa da Ética tindumbal 😅.

    Isso é escrever com profissionalismo e conhecimento de causa. A forma como fazes as transições e conexões são incríveis meu... Consegues dar a oportunidade do leitor de ouvir e imaginar vc escrevendo.
    Claps!!!

    ResponderEliminar

Motive-me com o seu comentário!